Portal Destaque
menu
conteúdo principal

Coleta Seletiva

O QUE É COLETA SELETIVA?  Coleta seletiva é a coleta diferenciada de resíduos que foram previamente separados segundo a sua constituição ou composição. Ou seja, resíduos com características similares são separados pelo gerador (que pode ser o cidadão, uma empresa ou outra instituição) e disponibilizados para a coleta separadamente.


NA SUA CASA - Na sua casa ou em seu local de trabalho tenha dois recipientes, um para cada tipo de resíduo (seletivo e orgânico). Para facilitar a separação é importante diferenciar os recipientes por corres e com identificação.


EMPRESA RESPONSÁVEL PELA COLETA SELETIVA – Novo Mundo, telefones - 54 9 9669 0228 ou 0800 970 975 4

 


Resíduo Orgânico

Resíduo Seletivo

Roteiro da Coleta Seletiva

Compostagem Domestica

Coleta Gratuita de Móveis

Campanha de Recolhimento Eletroeletrônicos

Descarte de Óleo de Cozinha

Produção de Resíduos

O que é coleta seletiva?
Coleta seletiva é a coleta diferenciada de resíduos que foram previamente separados segundo a sua constituição ou composição. Ou seja, resíduos com características similares são selecionados pelo gerador (que pode ser o cidadão, uma empresa ou outra instituição) e disponibilizados para a coleta separadamente.
De acordo com a Política Nacional de Resíduos Sólidos, a implantação da coleta seletiva é obrigação dos municípios e metas referentes à coleta seletiva fazem parte do conteúdo mínimo que deve constar nos planos de gestão integrada de resíduos sólidos dos municípios.

Por que separar os resíduos sólidos?
Cada tipo de resíduo tem um processo próprio de reciclagem. Na medida em que vários tipos de resíduos sólidos são misturados, sua reciclagem se torna mais cara ou mesmo inviável, pela dificuldade de separá-los de acordo com sua constituição ou composição. O processo industrial de reciclagem de uma lata de alumínio, por exemplo, é diferente da reciclagem de uma caixa de papelão (Ministério do Meio Ambiente).
Por este motivo, a Política Nacional de Resíduos Sólidos estabeleceu que a coleta seletiva nos municípios brasileiros deve permitir, no mínimo, a segregação entre resíduos seletivo e orgânico.
Os resíduos seletivos e/ou recicláveis são compostos, principalmente, por metais (como aço e alumínio), papel, papelão, tetrapak, diferentes tipos de plásticos e vidro.
Os resíduos orgânicos são compostos principalmente por resíduos de banheiros (fraldas, absorventes, cotonetes, entre outros), resíduos de limpeza e da cozinha (resto de alimentos, cascas, guardanapos usados).

O que é Logística Reversa?
A logística reversa é a obrigação dos fabricantes, importadores, distribuidores e comerciantes de determinados tipos de produtos (como pneus, pilhas e baterias, lâmpadas fluorescentes e outros) de estruturar sistemas que retornem estes produtos ao setor empresarial, para que sejam reinseridos no ciclo produtivo ou para outra destinação ambientalmente adequada.
Enquanto a coleta seletiva é uma obrigação dos titulares dos serviços de manejo de resíduos sólidos (poder público), a logística reversa (Política Nacional de Resíduos Sólidos, Lei n° 12.305, de 2 de agosto de 2010 e Decreto n° 7.404 de 23 de dezembro de 2010) é uma obrigação principalmente do setor empresarial pois, em geral, tratam-se de resíduos perigosos.

Como fazer a separação dos resíduos em casa e no trabalho?
Na sua casa ou em seu local de trabalho tenha dois recipientes, um para cada tipo de resíduo (seletivo e orgânico). Para facilitar a separação é importante diferenciar os recipientes por corres, tamanho e identificação.

O CAMINHO DOS RESÍDUOS (ORGÂNICO E SELETIVO)
Você sabe qual é o destino final da casca de banana, da erva mate, das sacolas plásticas, das latas, dos vidros descartados nos containers?
Todo resíduo não reciclado produzido nas residências vão para os aterros sanitários, grandes áreas preparadas tecnicamente para receber diariamente o material não reciclável.
O caminhão chega ao aterro com os resíduos, é pesado e descarrega o resíduo. Com o uso de máquinas (tratores) inicia-se o processo de espalhar e compactar o lixo em camadas no terreno, que posteriormente será coberto por terra. Isso evita mal cheiro, insetos e animais.
Quando começa a se decompor, o resíduo gera o chorume, um líquido escuro e produzido pela decomposição da matéria orgânica depositada, que será drenado e tratado para garantir a proteção ambiental, evitando a contaminação do solo e, principalmente, do lençol freático.
A decomposição dos resíduos também produz gases, entre eles o gás metano, um dos mais poluentes, que são coletados e queimados dentro da Estação de Queima de Biogás, localizada nos aterros, onde o gás metano é destruído para evitar a poluição do meio ambiente.
Os resíduos produzidos pela população de Flores da Cunha são coletados pela empresa Novo Mundo. Os resíduos seletivos, depois de coletados são destinados para o centro de triagem localizados na localidade de Nova Brasília. Nesse local, os trabalhadores fazem a separação (plásticos, papel, embalagens longa vida, vidro, isopor, garrafas plásticas), prensam, agrupam em fardos e negociam autonomamente a venda desses materiais para a indústria de reciclagem e/ou reaproveitamento.
O resíduo orgânico e os materiais que não pode ser reciclado são encaminhados para a Central de Tratamento de Resíduos de São Leopoldo. A unidade opera desde 2011, e pode receber até 5 milhões de toneladas de resíduos, sua vida útil é de 20 anos (Fonte: Companhia Riograndense de Valorização de Resíduos).


O que é aterro sanitário?
O aterro sanitário é uma obra de engenharia projetada sob critérios técnicos, cuja finalidade é garantir a disposição dos resíduos sólidos urbanos sem causar danos à saúde pública. É considerado uma das técnicas mais eficientes e seguras de destinação de resíduos sólidos, pois permite um controle eficiente e seguro do processo e quase sempre apresenta a melhor relação custo-benefício.
Os resíduos produzidos pela população de Flores da Cunha são destinados para o Central de Tratamento de Resíduos de São Leopoldo.
Faça sua parte! Vamos continuar separando os resíduos.